Tempo de desabrochar

Toda mulher, seja  teen, jovem ou madura, vive em constante transformação.

Reinventando-se a cada idade, a cada estação, a cada novo amor é sempre uma nova mulher.

E se faz radiante, mesmo após uma queda, uma decepção, buscando dentro de si razões para desabrochar.

E continuar… e recomeçar…plena!

 

A mulher equilíbrio

“… a nova mulher brasileira persegue o equilíbrio. Suavemente. Mas com um firmeza assustadora”, disse a conceituada Ana Paula Padrão.

Eu concordo. Essa mulher que é plena e muitas vezes até densa demais.

Ela é capaz de trazer nas mãos tanto o poder como o seu coração.

Mas como alcançar esse equilíbrio?

Imagine-se tentando caminhar por uma corda bamba,

tentando dosar a razão e emoção num duelo constante.

Coisas que só uma mulher consegue. E a chave para esse equilíbrio está na informação.

A travessia feita num fio tênue.
De um lado, a razão.
Do outro, a emoção.
 
Atraída pelo abismo, corda bamba.
No ar – fantasia.
Na terra –  realidade.
 
Toca o céu, vibra o barbante.
 Desequilíbrio,
quedas, recaídas.
 
A equilibrista balança.
Altos e baixos
A vida por um fio.
(por  bonecaruiva)